segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Cortei.

Pra quem acompanhou minha dúvida em cortar ou não o cabelo (AQUI), cortei. Assim, não foi tão radical. Quer dizer, pra mim foi bem radical, mas nem todo mundo vai pensar assim... Mas tudo bem. Só sei que quando vi as fotos do antes senti um leve aperto no coração. Senti falta dos meus cachos. Me deu aquela nostalgia, sabe?! Não arrependimento propriamente dito, acho que foi saudade. Mas também curti o resultado do depois. Só achei que nas fotos fiquei estranha de frente. Então, do "depois" só tem foto de costas, tá?! Prometo que vou fazer imagens de frente pra mostrar, ok? Então, foi:



Uma imagem vale mais que mil palavras, mas quem disse que eu consigo me calar? Hahaha = D



O cabelo curto tá aqui embaixo. Preparada?

Tá bem diferente.


Eu achei.


Por favor, ache também?!


Isso é importante pra mim. Sempre tive a mesma cara.

Ok. Foi:



E aí??? Muita decepção?
Bom, a história foi a seguinte: cheguei no salão sábado de manhã, 40 minutos atrasada. Sabia que ia cortar e sabia que ia fazer relaxamento. Só não sabia o quanto de cada. Levei umas fotos pro meu cabeleireiro ver. Não estava nem um pouco decidida. Daí que o sábio homem das tesouras me perguntou: "Você já teve franja?". "Não", respondi com ar direto. "Você sabe fazer escova?", indagou ele. "Não", disse eu. Então ele sugeriu que fizéssemos um relaxamento na raiz, mas numa raiz comprida, tipo uns 10 cm, e que cortássemos um bom tanto, mas não tão curtinho, e que fizéssemos franja, pra eu me acostumar. Achei a ideia sábia. Concordei e me entreguei aos tratamentos. Não sem antes perguntar que tipo de relaxamento ele faria: com amônia ou guanidina? Segunda opcão. Então ele me disse que não trabalha, nem com reza braba, com amônia. Sooooo, sem opção de escolha. Let's se jogar na guanidina, pensei.

Sei que foi assim: relaxamento, tesoura e escova. Pronto. Virei outra pessoa. Agora eu quero só ver hoje a noite quando eu lavar meu cabelo e tiver que me virar com o secador e a escova na mão. Obrigada chapinha por existir e me salvar nesses momentos.

Então, seguinte: combinei com o sábio homem das tesouras que vou treinar e aperfeiçoar meus movimentos com escova e secador, vou me adaptar a essa história de ser uma mulher com franja e, daqui uns três meses volto lá pra radicalizar geral! Aceito sugestões de cortes lindos! Também aceito doses cavalares de coragem! Eu sei, cabelo cresce, mas é difícil acreditar nisso quando já se foi careca...

Ha! Eu adoro um drama, juro que gosto. Acho que deveria ter nascido mexicana e meu nome deveria ser... deixa pra lá.

BeijoCAs gigantes!

Update: tem fotos da parte da frente AQUI


2 comentários:

Narda disse...

Fazer uma mudança radical leva tempo... tempo pra decidir e, quando decidir, digerir a decisão! rs
Não foi um corte "extremo" como você tinha pensado, mas já é uma mudança né?
Eu gostei!
Quero ver mais depois.
Bjs

Dayana disse...

Ahh amiga eu super me acostumei com franja, agora nao vivo sem! =)